21 de mar de 2011

Serra do Catingueiro. Sobradinho, DF


Trilha batizada pelo grupo como TRILHA DO CAJADO
Local: Serra do Catingueiro, nascentes do Rib. Contagem
Município/Estado: Sobradinho/DF, Comunidade Boa Vista, perto da Fercal

Data das visitas: dia 19 de março de 2011.
Como chegamos: DF 205, após a Fercal. Zona Rural de Sobradinho-DF. 19km a partir do Colorado, seguindo pela DF 150.
O que visitamos: Montanhas que fazem parte da área de Contagem e um dos rios que corta uma dessas montanhas.
O que levamos: água, lanche, roupa de banho, protetor solar, boné, máquinas fotográficas. Cajados!!!
Tempo de caminhada: 06 horas e meia. Começamos às 9:30 e terminamos às 16 horas.
Grau de dificuldade: médio a difícil, por causa de terreno íngreme e várias subidas de morro.
Valor do ingresso: não havia. Aliás, não vimos ninguém durante a trilha.
Necessidade de guia: é necessário alguém que já tenha feito antes. Há muitas marcas de trilha pelo caminho, mas houve um trecho sem trilha em que seguimos somente a orientação do GPS.
Participantes: João Carlos (organizador), Aureliano, Janette, Magnum, Marcelo, Josi, Rafael, Nazaré e Eran.
Dicas:
- O primeiro trecho da trilha já era uma subida íngreme e o Marcelo sugeriu que deveríamos ter caminhado um pouco por uma trilha menos íngreme para aquecer.
- Use um cajado porque tem subidas que são muito difíceis e sem ponto de apoio. Essas subidas de encosta de morro provavelmente teriam ficado inviabilizadas com a chuva. Tem também muito trecho de trilha beirando precipícios.
- Descemos um trecho por dentro do rio e foi a parte mais agradável porque o dia estava muito quente. Não havia grandes quedas d’água no trecho que andamos, mas foi possível tomar um banho e ficar por um bom tempo relaxando dentro da água. Rafael, João, Marcelo, Josi e Eran subiram o rio até uma queda d’água mas pelo relato do João não era muito aproveitável para banho, porque apesar de alta caia em filetes entranhados nas pedras.
- As vistas panorâmicas são estonteantes e nessa época do ano está tudo muito verde e viçoso.
- De acordo com Aureliano estávamos caminhando por um terreno de mais de 500 milhões de anos. Havia formações rochosas muito interessantes e de cor variada. Vimos extratos de pedra nas cores prata, vermelha e azul.
- Muitas, mas muitas borboletas mesmo!
- Encontramos um ponto alto com formações rochosas que fica perto da estrada de chão e seria um local muito bom para um LUAU e acampamento.
- Trilha noturna de nível perigoso porque há vários trechos de trilha que beiram precipícios.
- A volta da trilha foi feita pela estrada de terra que liga as fazendas da região
- A cerveja no boteco da Vila em que fica a trilha foi perfeita!
- O grupo estava muito animado e divertido. Pessoas agradáveis e de excelente humor!
Obrigada a tod@s pelos momentos inesquecíveis que passamos juntos!

Por: Janette

Subida do Nariz Quebrado

Nariz Quebrado 

Alto do Nariz Quebrado

Chuva distante vista do Alto da Serra 

Cachoeira na Nascente do Ribeirão Contagem

O Grupo reunido na parte mais alta da trilha 

Serra do Catingueiro

Flores

11 de mar de 2011

TERMO DE CONHECIMENTO DE RISCO

TERMO DE CONHECIMENTO DE RISCO
Grupo de Caminhada Brasília
Como participante do Grupo de Caminhada de Brasília, estou automaticamente de acordo com a declaração abaixo, como condição para acompanhar o Grupo na trilha denominada “___________________________________”, e para tanto declaro:
1.    Gozar de boa saúde e informar previamente ao grupo sobre o uso de qualquer medicamento para controle de doenças pré-existentes;
2.    Estar em boas condições físicas para participar do evento;
3.    Estar participando de livre e espontânea vontade de toda programação;
4.    Isentar de qualquer responsabilidade os demais integrantes do grupo em caso de acidentes, caso fortuito e/ou força maior;
5.    Ter ciência sobre os riscos que atividades dessa natureza oferecem, tais como:
a)    incidentes com animais, peçonhentos ou não.
b)    arranhões, escoriações, queimaduras e outros
c)    escorregar ou cair em locais com pisos escorregadios;
d)    quebra ou perda de materiais pessoais (anéis, alianças, relógios, óculos, câmeras fotográficas, etc)
e)    intempéries climáticas;
f)     riscos inerentes ao trânsito em Rodovias e Estradas de Terra.
6. Aceitar as decisões do Grupo (maioria) sobre horários e deslocamentos, exceto em caso de desistência da trilha;
7. Ter ciência de que qualquer ato meu, contrário às informações recebidas e orientações, podem causar danos a minha integridade física e/ou ao meio ambiente;
8. Ter conhecimento da relação de equipamentos e suprimentos de uso pessoais recomendados;
9. Saber que sou responsável pela minha própria segurança e, consequentemente, de todo Grupo;
10. Me responsabilizar pela preservação e conservação do ambiente em seu estado natural. Não agravar causas de erosão. Não deixar nada pelo caminho. Recolher todo meu lixo e, se possível, o de pessoas menos cuidadosas. Respeitar o silêncio dos outros e do ambiente.
Sem mais, ratifico as informações supracitadas e autorizo que seja providenciado, em meu nome e custas, minha remoção, tratamento e internação em caso de acidentes.
Nome Completo e Assinatura:
Identidade:
Contato para emergência:

2 de mar de 2011

Buracão & Itiquira




Registro de Atividades - 26 e 27 de fevereiro de 2011
 
Trilha  do Buracão 
Local: Rio da Palma - APA da Cafuringa
Data da visita: 26/02/2011
Como chegamosSaímos, a princípio com a idéia de fazer a trilha Indaía-Itiquira, mas depois de conversar sobre o Tempo e outras alternativas resolvemos rever o Poço Azul e buscar informações sobre o trecho até o Rio da
Palma. Um daqueles projetos que ainda não realizamos. Acabamos ficando por lá mesmo, explorando essa 'Trilha do Buracão com um trecho do Rio da Palma a partir da Fazenda de Seu Moisés. Descemos até a fazenda e caminhamos do pomar até o leito do Rio da Palma e nesse por aproximadamente 1km. Com uma subidinha boa na volta.  
O que visitamos O delicioso pomar da fazenda, e parte do curso do Rio da Palma.
 O que levamos: lanche, água e muita prosa
 Tempo de caminhada: saímos do condomínio Park Ville (912 Norte) aproximadamente às 09 horas e voltamos para o mesmo lugar por volta das 17 horas 
Grau de dificuldade: médio... Com um desnível de cerca de 200m, uns 6 km entre ida e volta e um km pelo leito do Rio (como o nome indica...Buracão)
Valor do ingresso: "uma boa conversinha com o Romualdo, caseiro na entrada e com o dono da fazenda na saída"
Necessidade de guia: não
 Participantes: João, Marlon, Cláudia e Clara
 Romuado, caseiro da Chácara, nos recebeu com frutas e uma boa conversa. Mas não soube informar sobre a existência de trilha rio abaixo. 




 


 




Trilha Indaiá-Itiquira 
Local: Formosa - GO
Data da visita: 27/02/2011
Como chegamos: Para chegar na cachoeira pegue a rodovia BR-020 rumo a Formosa, entrando-se antes da cidade, à esquerda, na rodovia GO-118, ]no sentido de São Gabriel (GO)(caminho de Alto Paraíso). 10km depois, há um trevo, onde virar-se à direita até a primeira curva,  onde novamente se vira à esquerda, na placa do Haras Cruzeiro do Sul. Seguindo, chega-se à Fazenda Indaiá.
O que visitamos: o mirante das corredeiras do Rio Indaiá (Indaiá 0), a queda Indaiá 1, o mirante da queda Indaiá 2 e a vista de cima do Salto de Itiquira.
O que levamos: lanche, água e um monte de coragem
Tempo de caminhada: saímos do Posto Flamingo (encontramos o pessoal do 4X4) às 08:45 e voltamos para o estacionamento de Indaiá às 16:30 horas.
Grau de dificuldade: médio...mas depende do referencial (hehe)
Valor do ingresso: 10 reais por pessoa
Necessidade de guia: não

Participantes: Rafael, Nazaré e Clara