13 de set de 2011

Tororó e Pôr-do-Sol na Ermida em 13/09/2011

No dia 13 de setembro de 2011 saímos para fazer uma visita à Cachoeira do Tororó. Era para ser uma caminhada light voltada para quem está iniciando nas trilhas mas também para aqueles que estavam com vontade de relaxar....




Saímos às 10:30 da manhã do ponto de encontro localizado no ponto de ônibus  situado em frente à Biblioteca Nacional. Passamos primeiro em um posto de gasolina para abastecer e comprar coisinhas tipo água, guloseimas, etc, etc.
Por volta das 11:30 chegamos ao estacionamento e caminhamos por cerca de 30 minutos. Quando já desciámos perto da queda tivemos um susto pois um banhista desavisado havia escorregado nas pedras e quebrado o pé. Assim ele estava sendo resgatado....Então, recuperamos a respiração e continuamos descendo.



Tivemos sorte, porque a cachoeira estava praticamente vazia. Além de nós havia somente duas famílias e dois praticantes de rapel. Eles gentilmente ofereceram descer com quem estivesse a fim de praticar o rapel. Então, Mariana, corajosa trilheira de Boa Vista -RR, topou a parada e desceu de rapel pela primeira vez na vida! Ganhou o dia!!





Aproveitamos também para fazer um delicioso lanche comunitário nas pedras e curtirmos as águas do poço do Tororó. Depois subimos até acima da queda onde encontramos uma deliciosa ducha para relacharmos. Foi bem light o passeio.






Na volta, um tanto meio desguiados, erramos o caminho e fomos em sentido oposto ao estacionamento. Mas foi uma boa caminhadinha para esquentarmos.

Depois de estarmos muito cansados de tanta atividade (para não dizer ao  contrário), seguimos para a Ermida Dom Bosco para conferir o pôr-do-sol. O evento encerrou um dia M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O pela paisagem, amizade, companhia e alto-astral.




Quando aconteceu: 13 de setembro de 2011
Onde foi: Cachoeira do Tororó e Ermida Dom Bosco, Brasília-DF
Nível de dificuldade: fácil
Quem foi: Márcio, Luciene, Clarinha, Flávia, Prima da Flávia, Rodrigo, Sheila, Helô e Mariana
Quem organizou: Clarinha

9 de set de 2011

Cavalcante-GO - VII Festival de Música Instrumental e Arte Popular. Trilha da Ponte de Pedra


Cavalcante: Festival de Música com Caminhada

No fim de Semana de 26 a 28 de agosto aconteceu o VII Festival de Música Instrumental e Arte Popular de Cavalcante. Aproveitamos a oportunidade para aliar a excelente música do encontro com uma trilha danada de boa até a Ponte de Pedra e a Cachoeira do Rio São Domingos, com uma bela vista da parte alta do PN da Chapada dos Veadeiros.

Quem foi?

Álvaro, Cynara, Mônica Rondina, Aline, Eliana, Flávio, Rafael (Taco), Rosângela, Hernanda, Ieda, Eliane, Rayanne, Danielle, Albérico, Rosa, Rafaela, Marcelo Lelis, Josi, Mário Marcondes, Lídia, João Carlos, Albânia, Aline e Rodrigo.



Sexta feira - 26/08

- Foi o dia da viagem de ida. Não sendo possível seguir em comboio, nos encontramos à noite na Praça Diogo Telles para apreciar o 1º dia do Festival, com vários grupos, representantes da músida local e de Brasília.


Sábado - 27/08 

- TRILHA - Durante o dia, saindo da Fazenda Renascer, fizemos a trilha até a Ponte de Pedra. A Fazenda fica a uns 15km na estrada em direção a Colinas do Sul. Uma caminhada com "boas"  subidas e descidas, trecho pela mata de galeria e a maior parte sob um solão danado. Ao final, a prova de que vale à pena o esforço. Um banho delicioso no poço natural com as águas cristalinas do Rio São Domingos, por baixo da estrutura muito interessante da Ponte de Pedra, com a belíssima vegetação de cerrado ao redor e a visão da Cachoeira rio abaixo num cânion onde só é possível o acesso por baixo ou com técnicas de rapel. Ao lado, depois de mais uma subidinha, do alto de um mirante bem posicionado, foi possível apreciar a parte alta do PN e todo o Vale do Rio Montes Claros, que recebe as águas do São Domingo e mais abaixo forma o Rio Preto. Esse que é o principal curso d'água do PN da Chapada dos Veadeiros. Fotos e mais fotos!!!


O Grupo reunido antes da trilha


A trilha



O Rio São Domingos cortando a rocha


A Ponte de Pedra


Vista do Mirante


Essa foi uma caminhada de nível médio/difícil - 15km com vários trechos em elevação. Uma "subidnha danada" na primeira parte.

Alguns colegas do grupo, voltaram com a companhia carinhosa de um ou outro carrapatinho.
Tudo isso dentre da RPPN da Fazenda Renascer. Onde o acesso só é permitodo com Guias da Associação de Condutores de Viajantes de Cavalcante e uma pequena taxa na entrada.
Abaixo uma imagem aérea com o desenho da trilha.
- À noite, fomos brindar no Festival, apreciando mais uma rodada da boa Música do evento.


Domingo - 28/08

- Foi dia de descansar. Uma parte do grupo voltou mais cedo para Brasília. Os demais aproveitaram o dia no Poço Encantando, já no caminho de volta, com muitas brincadeiras, um papo tranquilo na base da Cachoeira e a famosa galinha caipira do restaurante local. Às 16h mais ou menos estavam todos no caminho para Brasília.

 Cachoeira do Poço Encantado



Mais Fotos:

- Guia: Zé Pedrão -             62-96587367      

8 de set de 2011

RELATO DA ATIVIDADE: CACHOEIRA DA JIBÓIA (25/08/2011 a 27/08/2011)

No dia 25 de agosto (sexta-feira) Flávio, Marlon e eu saímos aproximadamente às 21 horas de Brasília com destino à Cachoeira da Jibóia localizada no Sertão do Urucuia próxima à cidade de Uruana em Minas Gerais (250 km do DF). Chegamos à área próxima à cachoeira para acampar por volta de 00:45 horas. Os seis quilômetros de estrada de terra que tivemos que pegar foram difíceis porque decidimos deixar o carro próximo ao lugar do camping. Para tanto tivemos que subir uma “pirambeirinha” difícil que só depois de um “riozim safadim” de pedregoso.
Logo que chegamos armamos acampamento e ficamos conversando um pouco ao som da Rádio Globo AM do som à pilha. A programação era para lá de complexa: de “Perfídia” a “Rocket Man”. Fomos então dormir de madrugada para nos prepararmos para a subida do dia seguinte.


No dia seguinte (26/08, sábado) por volta das 09 horas da manhã, Mariela e Dario chegaram para nos acompanhar. O objetivo era conquistar a “bicha”, ou seja, subir até o topo da Cachoeira da Jibóia que tem aproximadamente 144 metros de altura. O início da trilha não estava de forma nenhuma demarcado porque o lugar não é muito visitado. Estava com aparência de ser completamente abandonado. A sorte é que perto de nós havia dois senhores que estavam pescando e que conheciam o local e nos mostraram o início da trilha.

Iniciamos a caminhada por umas 10 horas da manhã: mato fechado, seco, cheio de gravetos, terreno íngreme com desnível de aproximadamente 200 metros, trilha para lá de fechada. Marlon, Flávio e Dario foram na frente abrindo as picadas. Mariela e eu atrás acompanhando. Por fim, por volta das 11:30 horas chegamos ao ponto mais alto da trilha. Havia uma cerca demarcando o caminho em direção ao topo da cachoeira. De lá de cima conseguíamos ver o ponto do acampamento.




Continuamos a caminhar por mais aproximadamente 01 hora já que a trilha em direção à cachoeira não estava demarcada de forma nenhuma. O capim estava extremamente alto e, assim, pouco podíamos ver o caminho. Flávio continuou usando a faca para abrir picadas. Ao fim, conseguimos avistar o topo da cachoeira e encontramos a trilha.
Enfim chegamos a um local onde havia um poço agradável. Mariela, Dario e eu ficamos neste local um pouco enquanto Marlon e Flávio continuaram a exploração do local. Após algum tempo eles retornaram informando que haviam encontrado outra cachoeira muito bonita antes da queda da Jibóia. Logo então fomos conferir o local que foi uma grande surpresa de tão belo que ele era!!!




Deste lugar podíamos ver a queda da Jibóia lá em baixo e o Vale do Urucuia ao fundo. Era uma visão tão linda que o lugar parecia que nos prendia. Simplesmente era muito difícil sair dali.



Então, nós vimos que havia uma estrada de terra que poderia dar um acesso mais fácil ao topo da Cachoeira.
Então decidimos que ao invés de ir à Gruta do Sapezal em Unaí (o plano inicial da atividade) iríamos explorar o caminho que dava acesso ao topo da cachoeira por estrada.
Às 16 horas resolvemos descer de volta para o acampamento. Desta vez o caminho foi um pouco mais amigável, apesar de ainda termos que passar por uns trechos de capim alto. Chegamos à base por volta das 17:30 horas. Recebemos ainda de nossos vizinhos pescadores uma deliciosa galinhada para incorporarmos ao nosso jantar.
Depois de tomarmos uma cervejinha (MARAVILHOSA!!) nos despedimos de nossos queridos caminhantes “Hermanos”: Mariela e Dario que foram embora com dor no coração porque o Dario ainda tinha que trabalhar no domingo à tarde em Brasília.
No dia seguinte pela manhã saímos à cata da estrada que levava ao topo da “bicha”. Antes Marlon e Flavio foram se despedir da cachoeira.


Achávamos que seria fácil....Quem dera....As indicações dos pescadores não foram precisas. Entramos em algumas propriedades para pedir informação. Uma delas foi a de seu Zé Bonzim que nos recebeu candidamente com um cafezinho acabado de passar. Que café bão! Sô!


Após muitas voltas, de muito comer poeira e de muita prosa com o povo local, encontramos o acesso ao topo pela estrada. Por fim paramos o carro perto da ponte do rio Jibóia e nos dirigimos para o belo lugar que havíamos visitado no dia anterior. Depois de algum tempo voltamos para a ponte para curtir um pouco mais daquele lugar maravilhoso.

Por volta das 17:30 horas pegamos o caminho de volta para o DF. Chegamos a Brasília lá pelas 21:00 horas. Paramos ainda para comer uma pizza e tomar uma cervejinha.
O que posso dizer é que foi uma atividade muuuiiito 10!!! Pelo visual, pela companhia e pela amizade. Quero agradecer aos companheiros Dario, Flávio, Mariela e Marlon que toparam fazer esta trilha e que espero encontrá-los em próximas oportunidades.
Quando e onde aconteceu: 25/08/2011 a 27/08/2011 na Cachoeira da Jibóia em Uruana de Minas (MG)
Quem organizou: Clarinha e Flávio
Quem foi: Clarinha, Dario, Flávio, Mariela e Marlon

6 de set de 2011

REPETECO DA CAMINHADA NA ERMIDA DOM BOSCO NO DIA 13/08/2011

No dia 13 de agosto de 2011 realizamos uma caminhada que foi chamada Repeteco da Caminhada na Ermida Dom Bosco. Este nome foi escolhido porque foi a terceira vez que o Grupo de Caminhada de Brasília promoveu esta atividade. A trilha foi organizada por Clara e foi de nível bem fácil.
Nós nos encontramos em frente à Biblioteca Nacional às 10 horas da manhã e seguimos em comboio em direção à Ermida. Após às costumeiras fotos turísticas iniciamos a trilha. No grupo da manhã estavam: Hmberto, Rafaela, Mônica, Wanda, Clara e Thaty.
O mais engraçado é que não sabíamos direito como chegar à trilha que beirava o lago. Depois de várias rodadas com alguns "GPSs" meio desregulados, conseguimos encontrar a trilha. Cada hora era uma orientação diferente. Enfim, conseguimos encontrar a trilha. Foi um caminho muito agradável porque em sua maior parte margeava o lago que naquele ponto tem as águas limpas.

Depois de uma parada para um lanche na sombra à beira do lago retornamos à Ermida e paramos para tirar fotos de uma Igreja onde foram feitas muitas promessas ardentes!!! Por fim por volta de 01 hora da tarde o grupo já estava de volta e a turma da manhã foi para suas casas.

De tarde, Camila e Luciano nos encontraram e resolvemos nos aventurar por outro lado da trilha. Neste caso estávamos: Camila, Luciano, Humberto e Clara. Fizemos uma incursão pelo quintal do Mosteiro de São Bento que mostrou algumas surpresas bem interessantes como o muro de pedra de uma antiga fazenda, um tanque antigo e um quintal frondoso. No final fomos parar na estrada que dá acesso ao Instituto Israel Pinheiro e vimos outra trilha que dá acesso à barragem do Paranoá.



Por fim quero agradecer a todos que se dispuseram a fazer esta caminhada que, embora simples, foi extremamente agradável e proveitosa para o sábado. E sabemos que sempre existe uma boa opção de trilha fácil e acessível aqui em Brasília.