13 de out de 2011

VISITA À CACHOEIRA DO BISNAU E AO SÍTIO ARQUEOLÓGICO EM 12 DE OUTUBRO DE 2011

Aproveitamos o feriado de 12 de outubro para irmos conferir a Cachoeira do Bisnau e o Sítio Arqueológico do Binsau que ficam no Distrito de Bezerra no Município de Formosa em Goiás. Saímos do Posto Flamingo aproximadamente às 08 horas e fomos em direção à Lagoa Feia em Formosa para encontrarmos Frederico e Letícia.
Enquanto aguardávamos nossos amigos caminhantes de Formosa apreciamos um pouco da paisagem da Lagoa Feia. Frederico e Letícia chegaram e rumamos então em direção à Cachoeira do Bisnau que fica em uma propriedade particular. Antes paramos na Pamonharia do Binsau para conversarmos um pouco e decidimos que iríamos antes à cachoeira (a proposta era ir ao sítio arqueológico antes) pois temíamos que chovesse e assim ficaria mais difícil aproveitar a queda d´água.



Estacionamos nossos carros próximos ao topo da cachoeira  e descemos os 130 metros de desnível. Isto foi tranqüilo mas tivemos um pouco de dificuldade de encontrar a base da queda, considerando que a trilha em direção a esta não estava bem demarcada. Fomos mesmo assim tateando. Solange de um lado, Frederico de outro e Roberto Alves também. Grandes exploradores!!





Por fim chegamos lá! tendo que atravessar o rio!! A água estava uma delícia!! A companhia de todos também estava muito agradável!!! Rimos, conversamos e tiramos nossas fotos, além de realizarmos nosso lanche.



Por fim, lá pelas 13 horas tivemos que subir novamente....Hum, se na da descida todo santo ajuda, na subida, só mesmo na base do fôlego e do tatear das pernas na enconsta. Chegamos uma hora depois e ainda aproveitamos para tomar mais um banho para nos refrescarmos nas águas do rio. Depois seguimos para o sítio arqueológico e ficamos lá desenvolvendo várias teorias (cada uma mais doida que a outra....rsrs) sobre a origem das inscrições rupestres nas pedras do Binsau.



Depois por volta das 15 horas retornamos para Formosa onde alguns de nós aproveitaram para relaxar em um delicioso peixe na telha e tomar uma cervejinha. Olha! Foi um feriado perfeito!!!

Quando foi: 12 de outubro de 2011
Onde: Cachoeira do Binsau/Síto Arqueológico do Binsau em Formosa em Goiás
Entrada na propriedade: 10 R$
Detalhes:
De Brasília, vá em direção à saída norte ( Sobradinho ) para pegar a BR-020 ( Brasília x Fortaleza ). Siga em direção à Formosa. Após Formosa, continue pela BR-020 e passe pelo Distrito de Bezerra ( quebra-molas ). Aproximadamente 10 km após Bezerra, haverá ao lado
direito da pista 2 pamonharias. Esta é a entrada para o Bisnau. A partir da Pamonharia, pegue a única estrada de chão que sai entre as 2 pamonharias. Após o segundo mata-burro haverá uma estrada à esquerda, em direção a um vale que pode ser visualizado de longe.
Pegue a entrada, ande por uns 300 metros e haverá uma bifurcação. Pegue para a direita e após uns 200 metros observe um muro de pedras à esquerda. Logo a frente estará a sede da fazenda administrada pelo Senhor Gil. Pague R$10,00 e ele abrirá a porteira para o caminho de carro até a cachoeira. Não há dificuldades nesse trecho, apenas uma porteira quase quebrada que deve ser mantida fechada.

Quem foi: Alessandro, Clarinha, Frederico, Letícia, Giselle, Solange, Margareth, Renata, Humberto, Ju, Sheila, Rodrigo, Roberno, Eliane1, Eliane@, Talita

Quem organizou: Clarinha e Frederico

13 de set de 2011

Tororó e Pôr-do-Sol na Ermida em 13/09/2011

No dia 13 de setembro de 2011 saímos para fazer uma visita à Cachoeira do Tororó. Era para ser uma caminhada light voltada para quem está iniciando nas trilhas mas também para aqueles que estavam com vontade de relaxar....




Saímos às 10:30 da manhã do ponto de encontro localizado no ponto de ônibus  situado em frente à Biblioteca Nacional. Passamos primeiro em um posto de gasolina para abastecer e comprar coisinhas tipo água, guloseimas, etc, etc.
Por volta das 11:30 chegamos ao estacionamento e caminhamos por cerca de 30 minutos. Quando já desciámos perto da queda tivemos um susto pois um banhista desavisado havia escorregado nas pedras e quebrado o pé. Assim ele estava sendo resgatado....Então, recuperamos a respiração e continuamos descendo.



Tivemos sorte, porque a cachoeira estava praticamente vazia. Além de nós havia somente duas famílias e dois praticantes de rapel. Eles gentilmente ofereceram descer com quem estivesse a fim de praticar o rapel. Então, Mariana, corajosa trilheira de Boa Vista -RR, topou a parada e desceu de rapel pela primeira vez na vida! Ganhou o dia!!





Aproveitamos também para fazer um delicioso lanche comunitário nas pedras e curtirmos as águas do poço do Tororó. Depois subimos até acima da queda onde encontramos uma deliciosa ducha para relacharmos. Foi bem light o passeio.






Na volta, um tanto meio desguiados, erramos o caminho e fomos em sentido oposto ao estacionamento. Mas foi uma boa caminhadinha para esquentarmos.

Depois de estarmos muito cansados de tanta atividade (para não dizer ao  contrário), seguimos para a Ermida Dom Bosco para conferir o pôr-do-sol. O evento encerrou um dia M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O pela paisagem, amizade, companhia e alto-astral.




Quando aconteceu: 13 de setembro de 2011
Onde foi: Cachoeira do Tororó e Ermida Dom Bosco, Brasília-DF
Nível de dificuldade: fácil
Quem foi: Márcio, Luciene, Clarinha, Flávia, Prima da Flávia, Rodrigo, Sheila, Helô e Mariana
Quem organizou: Clarinha

9 de set de 2011

Cavalcante-GO - VII Festival de Música Instrumental e Arte Popular. Trilha da Ponte de Pedra


Cavalcante: Festival de Música com Caminhada

No fim de Semana de 26 a 28 de agosto aconteceu o VII Festival de Música Instrumental e Arte Popular de Cavalcante. Aproveitamos a oportunidade para aliar a excelente música do encontro com uma trilha danada de boa até a Ponte de Pedra e a Cachoeira do Rio São Domingos, com uma bela vista da parte alta do PN da Chapada dos Veadeiros.

Quem foi?

Álvaro, Cynara, Mônica Rondina, Aline, Eliana, Flávio, Rafael (Taco), Rosângela, Hernanda, Ieda, Eliane, Rayanne, Danielle, Albérico, Rosa, Rafaela, Marcelo Lelis, Josi, Mário Marcondes, Lídia, João Carlos, Albânia, Aline e Rodrigo.



Sexta feira - 26/08

- Foi o dia da viagem de ida. Não sendo possível seguir em comboio, nos encontramos à noite na Praça Diogo Telles para apreciar o 1º dia do Festival, com vários grupos, representantes da músida local e de Brasília.


Sábado - 27/08 

- TRILHA - Durante o dia, saindo da Fazenda Renascer, fizemos a trilha até a Ponte de Pedra. A Fazenda fica a uns 15km na estrada em direção a Colinas do Sul. Uma caminhada com "boas"  subidas e descidas, trecho pela mata de galeria e a maior parte sob um solão danado. Ao final, a prova de que vale à pena o esforço. Um banho delicioso no poço natural com as águas cristalinas do Rio São Domingos, por baixo da estrutura muito interessante da Ponte de Pedra, com a belíssima vegetação de cerrado ao redor e a visão da Cachoeira rio abaixo num cânion onde só é possível o acesso por baixo ou com técnicas de rapel. Ao lado, depois de mais uma subidinha, do alto de um mirante bem posicionado, foi possível apreciar a parte alta do PN e todo o Vale do Rio Montes Claros, que recebe as águas do São Domingo e mais abaixo forma o Rio Preto. Esse que é o principal curso d'água do PN da Chapada dos Veadeiros. Fotos e mais fotos!!!


O Grupo reunido antes da trilha


A trilha



O Rio São Domingos cortando a rocha


A Ponte de Pedra


Vista do Mirante


Essa foi uma caminhada de nível médio/difícil - 15km com vários trechos em elevação. Uma "subidnha danada" na primeira parte.

Alguns colegas do grupo, voltaram com a companhia carinhosa de um ou outro carrapatinho.
Tudo isso dentre da RPPN da Fazenda Renascer. Onde o acesso só é permitodo com Guias da Associação de Condutores de Viajantes de Cavalcante e uma pequena taxa na entrada.
Abaixo uma imagem aérea com o desenho da trilha.
- À noite, fomos brindar no Festival, apreciando mais uma rodada da boa Música do evento.


Domingo - 28/08

- Foi dia de descansar. Uma parte do grupo voltou mais cedo para Brasília. Os demais aproveitaram o dia no Poço Encantando, já no caminho de volta, com muitas brincadeiras, um papo tranquilo na base da Cachoeira e a famosa galinha caipira do restaurante local. Às 16h mais ou menos estavam todos no caminho para Brasília.

 Cachoeira do Poço Encantado



Mais Fotos:

- Guia: Zé Pedrão -             62-96587367      

8 de set de 2011

RELATO DA ATIVIDADE: CACHOEIRA DA JIBÓIA (25/08/2011 a 27/08/2011)

No dia 25 de agosto (sexta-feira) Flávio, Marlon e eu saímos aproximadamente às 21 horas de Brasília com destino à Cachoeira da Jibóia localizada no Sertão do Urucuia próxima à cidade de Uruana em Minas Gerais (250 km do DF). Chegamos à área próxima à cachoeira para acampar por volta de 00:45 horas. Os seis quilômetros de estrada de terra que tivemos que pegar foram difíceis porque decidimos deixar o carro próximo ao lugar do camping. Para tanto tivemos que subir uma “pirambeirinha” difícil que só depois de um “riozim safadim” de pedregoso.
Logo que chegamos armamos acampamento e ficamos conversando um pouco ao som da Rádio Globo AM do som à pilha. A programação era para lá de complexa: de “Perfídia” a “Rocket Man”. Fomos então dormir de madrugada para nos prepararmos para a subida do dia seguinte.


No dia seguinte (26/08, sábado) por volta das 09 horas da manhã, Mariela e Dario chegaram para nos acompanhar. O objetivo era conquistar a “bicha”, ou seja, subir até o topo da Cachoeira da Jibóia que tem aproximadamente 144 metros de altura. O início da trilha não estava de forma nenhuma demarcado porque o lugar não é muito visitado. Estava com aparência de ser completamente abandonado. A sorte é que perto de nós havia dois senhores que estavam pescando e que conheciam o local e nos mostraram o início da trilha.

Iniciamos a caminhada por umas 10 horas da manhã: mato fechado, seco, cheio de gravetos, terreno íngreme com desnível de aproximadamente 200 metros, trilha para lá de fechada. Marlon, Flávio e Dario foram na frente abrindo as picadas. Mariela e eu atrás acompanhando. Por fim, por volta das 11:30 horas chegamos ao ponto mais alto da trilha. Havia uma cerca demarcando o caminho em direção ao topo da cachoeira. De lá de cima conseguíamos ver o ponto do acampamento.




Continuamos a caminhar por mais aproximadamente 01 hora já que a trilha em direção à cachoeira não estava demarcada de forma nenhuma. O capim estava extremamente alto e, assim, pouco podíamos ver o caminho. Flávio continuou usando a faca para abrir picadas. Ao fim, conseguimos avistar o topo da cachoeira e encontramos a trilha.
Enfim chegamos a um local onde havia um poço agradável. Mariela, Dario e eu ficamos neste local um pouco enquanto Marlon e Flávio continuaram a exploração do local. Após algum tempo eles retornaram informando que haviam encontrado outra cachoeira muito bonita antes da queda da Jibóia. Logo então fomos conferir o local que foi uma grande surpresa de tão belo que ele era!!!




Deste lugar podíamos ver a queda da Jibóia lá em baixo e o Vale do Urucuia ao fundo. Era uma visão tão linda que o lugar parecia que nos prendia. Simplesmente era muito difícil sair dali.



Então, nós vimos que havia uma estrada de terra que poderia dar um acesso mais fácil ao topo da Cachoeira.
Então decidimos que ao invés de ir à Gruta do Sapezal em Unaí (o plano inicial da atividade) iríamos explorar o caminho que dava acesso ao topo da cachoeira por estrada.
Às 16 horas resolvemos descer de volta para o acampamento. Desta vez o caminho foi um pouco mais amigável, apesar de ainda termos que passar por uns trechos de capim alto. Chegamos à base por volta das 17:30 horas. Recebemos ainda de nossos vizinhos pescadores uma deliciosa galinhada para incorporarmos ao nosso jantar.
Depois de tomarmos uma cervejinha (MARAVILHOSA!!) nos despedimos de nossos queridos caminhantes “Hermanos”: Mariela e Dario que foram embora com dor no coração porque o Dario ainda tinha que trabalhar no domingo à tarde em Brasília.
No dia seguinte pela manhã saímos à cata da estrada que levava ao topo da “bicha”. Antes Marlon e Flavio foram se despedir da cachoeira.


Achávamos que seria fácil....Quem dera....As indicações dos pescadores não foram precisas. Entramos em algumas propriedades para pedir informação. Uma delas foi a de seu Zé Bonzim que nos recebeu candidamente com um cafezinho acabado de passar. Que café bão! Sô!


Após muitas voltas, de muito comer poeira e de muita prosa com o povo local, encontramos o acesso ao topo pela estrada. Por fim paramos o carro perto da ponte do rio Jibóia e nos dirigimos para o belo lugar que havíamos visitado no dia anterior. Depois de algum tempo voltamos para a ponte para curtir um pouco mais daquele lugar maravilhoso.

Por volta das 17:30 horas pegamos o caminho de volta para o DF. Chegamos a Brasília lá pelas 21:00 horas. Paramos ainda para comer uma pizza e tomar uma cervejinha.
O que posso dizer é que foi uma atividade muuuiiito 10!!! Pelo visual, pela companhia e pela amizade. Quero agradecer aos companheiros Dario, Flávio, Mariela e Marlon que toparam fazer esta trilha e que espero encontrá-los em próximas oportunidades.
Quando e onde aconteceu: 25/08/2011 a 27/08/2011 na Cachoeira da Jibóia em Uruana de Minas (MG)
Quem organizou: Clarinha e Flávio
Quem foi: Clarinha, Dario, Flávio, Mariela e Marlon

6 de set de 2011

REPETECO DA CAMINHADA NA ERMIDA DOM BOSCO NO DIA 13/08/2011

No dia 13 de agosto de 2011 realizamos uma caminhada que foi chamada Repeteco da Caminhada na Ermida Dom Bosco. Este nome foi escolhido porque foi a terceira vez que o Grupo de Caminhada de Brasília promoveu esta atividade. A trilha foi organizada por Clara e foi de nível bem fácil.
Nós nos encontramos em frente à Biblioteca Nacional às 10 horas da manhã e seguimos em comboio em direção à Ermida. Após às costumeiras fotos turísticas iniciamos a trilha. No grupo da manhã estavam: Hmberto, Rafaela, Mônica, Wanda, Clara e Thaty.
O mais engraçado é que não sabíamos direito como chegar à trilha que beirava o lago. Depois de várias rodadas com alguns "GPSs" meio desregulados, conseguimos encontrar a trilha. Cada hora era uma orientação diferente. Enfim, conseguimos encontrar a trilha. Foi um caminho muito agradável porque em sua maior parte margeava o lago que naquele ponto tem as águas limpas.

Depois de uma parada para um lanche na sombra à beira do lago retornamos à Ermida e paramos para tirar fotos de uma Igreja onde foram feitas muitas promessas ardentes!!! Por fim por volta de 01 hora da tarde o grupo já estava de volta e a turma da manhã foi para suas casas.

De tarde, Camila e Luciano nos encontraram e resolvemos nos aventurar por outro lado da trilha. Neste caso estávamos: Camila, Luciano, Humberto e Clara. Fizemos uma incursão pelo quintal do Mosteiro de São Bento que mostrou algumas surpresas bem interessantes como o muro de pedra de uma antiga fazenda, um tanque antigo e um quintal frondoso. No final fomos parar na estrada que dá acesso ao Instituto Israel Pinheiro e vimos outra trilha que dá acesso à barragem do Paranoá.



Por fim quero agradecer a todos que se dispuseram a fazer esta caminhada que, embora simples, foi extremamente agradável e proveitosa para o sábado. E sabemos que sempre existe uma boa opção de trilha fácil e acessível aqui em Brasília.

29 de jul de 2011

Travessia Cidade de Pedra - Rosário

O grupo se encontrou na sexta feira(15/07) à noite no Hotel São Jorge, em Cocalzinho de Goiás. A turma chegou aos poucos: Um carro no final da tarde, outros por volta das 10 da noite e o último chegou só depois de meia noite.

Acordamos cedo no sábado, e às sete ja estavamos  à espera da condução que nos levaria à Cidade de Pedra.  Começamos a caminhar em direção ao primeiro objetivo da viagem: O ponto culminante da Serra de São Gonçalo, com 1305m de altitude. Quando chegamos ao ponto mais alto da serra, percebemos que haviam várias pedras de altitude muito semelhante, afastadas algumas centenas de metros entre si. Todas candidatas ao cume "verdadeiro". Para não atrasar a caminhada, escolhemos apenas uma para subir.

A seguir, adentramos a Cidade de Pedra, e passamos algumas horas vagando entre as formações rochosas, mas sempre rumando mais ou menos para oeste, direção do nosso destino no dia seguinte.


Panorâmica de um dos "anfiteatros" da Cidade de Pedra
O grupo, no "Arco do Triunfo"
Formações rochosas

Saindo da Cidade de Pedra, rumamos em direção às cabeceiras do Córrego do Chapadão, um dos formadores das cachoeiras dos dragões. A caminhada seguiu por uma área de campos naturais, com belas vistas das serras ao redor. Paramos para acampar cedo, por volta das 16:00, próximo á margem  um afluente do Córrego do Chapadão, no mesmo ponto utilizado para acampamento na edição anterior da travessia.  No jantar, contamos mais uma vez com um  menu especial da Chef Cinara,nossa especialista em gastronomia "outdoor".


No domingo, acordamos devagar e começamos a caminhar por volta das 09:00. Em pouco tempo chegamos à  uma piscina no Corrego Chapadão, onde parte do grupo parou para um banho. Seguindo viagem, cruzamos pastos, plantações de eucalipto e veredas, até chegar finalmente em nosso destino, as instalações do Demóclito na Cachoeira do Rosário. Por lá  tomamos banho de piscina e cachoeira, almoçamos e esperamos preguiçosamente por nosso transporte, que chegou pontualmente às 16:00 para nos levar de volta aos carros que ficaram em Cocalzinho de Goiás.
"Jacuzzi" no Córrego Chapadão

Vereda de Buritis
Participaram desta caminhada:  André, Andrea, Cinara, Fabio, Helenise, Ina, João,  Leo,  Marco, Roberto(Bob), Sonia, Silvana,
O grupo, pronto para iniciar a caminhada

Fotos do João:

11 de jul de 2011

Goiânia - 27 a 29/05/2011

Relato sobre o fim de semana 27 a 29/05/2011 em Goiânia.

PRIMEIRO DIA - Sexta feira a noite. 
O Grupo Chegou tarde ao apartamento onde passaram esses dias em Goiânia. Mas com fome, saímos para jantar no Oficina, de onde voltar tarde. Lá pelas 3horas da matina.

SEGUNDO DIA - Sábado.
Foi um dia leve. Acordamos tarde e por volta as 10horas da manhã fomos para o Bosque dos Buritis próximo ao centro da cidade.
http://www.goiania.go.gov.br/html/principal/goiania/parquesebosques/bosqueburitis.shtmlApós circular todo o parque, chegaram os demais membros do nosso grupo e almoçamos num restaurante chamado Panelinha, de comida boa onde todos comeram bastante. Todos com vontade de tirar aquela sonequinha,

mas tive que ser firme, hehe, tinhamos que ir ao Memorial do Cerrado, porque se fechava cedo.
E no memorial do Cerrado, foi tudo muito bom, fotos e fotos para registrar todos os detalhes do lugar e aproveitar uma aula sobre Quilombos com o segurança local. Bem empolgado mostrando seu conhecimento, hehe.
Após isto, à noite passamos pela Feira da Lua para um lanche básico, fazerem uma comprinha básica (não é Lianaaaaaa).diante das diversas opções. Além de algumas pessoas aproveitarem para Depois andamos pelo Parque Vaca Brava, região da cidade com diversas opções de bares e restaurantes, de onde fomos a um Forró, porque a
noite estava apenas começando para a animação da Verônica e Cinara.
Todos logo se animaram também, em beber principalmente, fui embora mais cedo porque já estava cansadinha, mas soube que certas pessoas dançaram até 1hora da manhã, ao som do forrozinho goianiense.
TERCEIRO DIA - DOMINGO
Finalmente a nossa trilha na Serra das Areias. Começamos tarde, mas conseguimos conhecer boa parte da Serra com o benefício de uma aula completa sobre sustentabilidade, proteção ao meio ambiente, ganchos alemães, treinamentos da policia com tiros em porta de carro e favelas.
No começo da trilha, alguém começa a gritar, mas seria aquilo um grito mesmo??? Disseram que era um espirro, mas, havia grandes suspeitas que aquilo era Outra coisa, só não me peçam para dizer o que era mesmo.
Daí de repente, um Tapa, um tapa??? Sim, um tapa bunda se perde... e deixou um buraquinho de xadrez vermelho a vista... Hum...
Aí começou a pressão psicológica para se ter cuidado na trilha, cobras, aranhas, lobos, onças, quixadas, moribundos, ops, melhor, marimbondos da terra, do ar, do fogo e da água, MEDO, muito medo...
Sol, água, Sol, água, subidas, descidas, galhos, espinhos, e então, uma vista muito bonita da serra das Areias, Goiânia e Aparecida de Goiânia inteira, logo a frente, mais uma foto do grupo e depois, pé na trilha. Mas, nas antenas da Serra das Areias, nada teria muita graça se não fosse o incrível relato de segurança de nosso Guia, dizendo ele, se ele tivesse que ficar sozinho, em cima da serra, vigiando as antenas, colocaria 4 cachorros com ele, para fazerem uma bela proteção 4 grandes pinschers, comédia...
Chegamos a primeira cachoeira, que estava com pouca água devido a seca, mas boa para dar uma refrescada, e põe refrescada nisto, bem geladinha... mas teve uma pessoa, que para não sentir frio na água, entrou de roupa e tudo, e ficou por lá, no quentinho da água fria...
Depois de mais algumas andanças chegamos à lagoa azul, que mais era uma lagoa verde com “melequinhas” no fundo da água mas que tava até bom de se pisar. Aí veio o grande elogio, que foi mais uma cantada que levou uma grande tesourada... haha
Alguns nadando pra lá e pra cá e chegou a hora de voltarmos.
Já no apartamento, todos se arrumaram e tudo ok com a vistoria e um chinelo, isto, um chinelo, o João encontrou o chinelo perdido do Aureliano que havia ficado em Goiás velho e neste fim de semana estava dando uma voltinha por Goiânia. Encontramos ok Aureliano, mas como você não veio para reivindicar, deixamos o chinelo abandonado pelos
bares da vida.
Todos com fome e um jantar bem caprichado no “batatinhas grill”, 14 reais e coma a vontade.
Fotos dessas atividades:



Adorei todos os momentos!

Lukura (Luciana Lopes)

9 de jul de 2011

Circuito Alto Paraíso- P1518-Sertão Zen - Vale do Moinho

Começamos a caminhar na sexta-feira , 08 de julho DE 2011, depois das 23h. Subimos  o Morrão e tivemos uma tranquila e estrelada noite num bivaque em meio a um campo limpo, com direito a assistir o pôr da lua crescente e ver estrelas cadentes.

No dia seguinte, parte do grupo levantou ainda antes do sol nascer, curtindo a alvorada a partir do ponto mais alto do Morrão. Após um breve "desayuno", saímos cerca de 8h pela trilha principal para o Sertão Zen.

Trilha rumo ao Sertão Zen
 
Depois do Portal de Maetreya,  seguimos rumo à Serra da Baliza para alcançar a base do P1518.  Como esta montanha é muito pouco visitada, não há trilhas.  Fizemos a ascensão com trepa pedra e vara mato.
Chegando ao cume pretendíamos assinar o livro de cume deixado por nós anos antes na nossa primeira visita. Entretanto, o livro estava inutilizável.  Parece que um raio caiu ali  e destriuiu o papel.  Oba! Vamos ter que voltar alí para deixar um novo livro a fim de registrar visitas de excursionistas.

Proximidades do P1518

Olha aí o livro de cume destruido...
Descemos a montanha por uma crista pouco nítida e alcançamos o rio pouco antes da cachoeira do Sertão Zen.  Passamos o dia curtindo a água fria, boas conversas, sonecas e caminhadas pelos arredores.  Passamos a noite bivacando nas rochas da cachoeira e presenciamos um incrível amanhecer no vale do rio Macaco.
 Grupo nas rochsa da cachoeira

Amanhecer no Sertão Zen

Domingo, 10 de julho, fizemos a trilha do Sertão Zen para o Vale do Moinho.  O percurso de distancia da trilha original de retorno a Alto Paraíso para alcançar uma crista estreita que chega na estrada do Moinho.  Este trecho é muito mais difícil que a trilha normal, mas também é muito mais "legal", propiciando vistas fantásticas dos paredões de rocha da serra, do vale do moinho e das cachoeiras do outro lado do vale.

Descida do Morro da Pedra Ruim


A parte mais dura da caminhada foi o final:  caminhar 4km na estrada de terra do vale do Moinho, sob o sol do meio dia,  até chegar em Alto Paraíso. Encerramos as atividades com um almoço no restaurante Oca Lila.

Quem quiser ver mais fotos, basta acessar o Flickr do Roberto Ribeiro:  http://www.flickr.com/photos/robertofig/sets/72157627195206596/

Esse foi um daqueles finais de semana super bem aproveitados em um lugar lindo, com pessoas ótimas.  Até a próxima!

Elaborado por: Andrea Zimmermann
Fotos: Andrea Zimmermann e  Fabio Araújo
Participantes:  Andrea, Fabio, Orlando, Cinara, Bernhar, Luiza, Roberto, Roberto Alves e Leonardo.

Carta imagem da travessia

4 de jul de 2011

Triangulo Kalunga

Pessoal,

Finalmente o Triângulo dos Kalungas deixou de ser lenda....  Em 5 dias, completamos a caminhada de 95km entre o Engenho, Vão do Moleque e Vão do Almas.  Leiam o relato da expedição no blog e deixem seus comentários: http://www.excursionismoplanaltocentral.blogspot.com   

Abraço,
--
   Andrea & Fabio
PU2AZM & PT2ATC

13 de jun de 2011

Exposição Fotográfica do Grupo de Caminhada Brasília no Jardim Botânico de Brasília


Car@s Amig@s Caminhantes,

Convidamos vocês para visitar no Picasa a Exposição Fotográfica do Grupo de Caminhada Brasília no Jardim Botânico de Brasília, dentre da Programação da Semana do Meio Ambiente de 2011. Seleção de fotos que lugares visitados pelo Grupo ao longos dos últimas 10 anos.

https://picasaweb.google.com/caminhardf/ExposicaoNoJardimBotanico

--
--
Saudações,
Grupo de Caminhada Brasília

7 de jun de 2011

2ª Caminhada Fotográfica do GCB. Tema: Jardim Botânico

Olá Amigos Fotógrafos,

Vocês que, no último domingo 05/06, estiveram conosco no Dia do Meio Ambiente no Jardim Botânico e fizeram seus registros dos encantos naturais do lugar, gostaríamos de agradecer a adesão a mais esse encontro lúdico do Grupo de Caminhada.

E para registrar esse bom momento, pedimos que mandem as suas seleções de 5 (cinco) fotos para o email: caminhardf@gmail.com.

Como combinado, para registrar os diferentes olhares dos colegas sobre o JBB, vamos preparar um álbum na internet com todas as fotos desse evento e mais à frente uma exposição com aquelas que despertarem mais interesse entre os colegas do Grupo.

Combinado então. Até o próximo dia 26/06, mandem suas fotos para caminhardf@gmail.com e participe da exposição do Grupo sobre o Jardim Botânico.

Abraços a todos,

Grupo de Caminhada Brasília

26 de mai de 2011

ATIVIDADES DO GRUPO DE CAMINHADA NO JARDIM BOTÂNICO DE BRASÍLIA

NA PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DO MEIO AMBIENTE


DOMINGO, 05/06/2011

Vamos transformar as atividades desse dia num momento de confraternização dos membros do Grupo de Caminhada.
Vocês, que em algum momento participaram de qualquer atividade do Grupo, sintam-se especialmente convidados para estar conosco na Caminhada, no bate-Papo e na Exposição de Fotos sobre o Grupo... Vejam os detalhes abaixo!

ATIVIDADES DO GRUPO DE CAMINHADA

9h - CAMINHADA PELA TRILHA DO CERRADO + CAMINHADA FOTOGRÁFICA

A - CAMINHADA PELA TRILHA DO CERRADO

Descrição: Vamos percorrer as trilhas do JBB para apreciar a fauna e a flora locais e passar pelas instalações: Alameda dos Ipês, Jardim Sensorial, Jardim dos Cheiros, Horto Medicinal, Orquidário, Lago, Casa de Chá, Mirante (ponto mais alto do local) e Jardim Evolutivo.

Teremos amigos das áreas de saúde, educação física e meio ambiente para compartilhar informações e orientações com aqueles que acompanharem a caminhada.
Distância: 5km; Duração: 3h

Ponto de Encontro: Centro de Visitantes, no Bosque de Pinheiros

B - 2ª CAMINHADA FOTOGRÁFICA

Simultaneamente faremos a 2ª Caminhada Fotografica do Grupo. Os Colegas fotógrafos do grupo sairão do mesmo local, mas sem rota definida para registrar o "Olhar" de cada um sobre o JBB. Nos próximos dias vamos divulgar a orientação dessa atividade.

13h - BATE PAPO - O MUNDO DAS TRILHAS - CAMINHADAS, DESCOBERTAS E PRESERVAÇÃO

Descrição: Bate-papo sobre o tema: "O Mundo das trilhas: caminhadas, descobertas e preservação", a ser realizado logo após a caminhada. O objetivo é familiarizar os presentes sobre o que é um grupo de caminhada, que tipo de atividades são realizadas, quem são as pessoas que se dipõem a fazer esse tipo de atividade e que estados de espírito as movem a de repente entrarem pra o mundo das trilhas, que surpresas se encontram, que desafios há pra enfrentar, que relação é essa estabelecida entre caminhantes e meio-ambiente.

O bate-papo será com Helenize e Andréa, duas experientes companheiras do Grupo.

Local: Ao lado do Centro de Visitantes

14h - ABERTURA DA EXPOSIÇÃO DE FOTOS SOBRE O GRUPO

Descrição: Painel fotográfico com as melhores imagens do Grupo, de todos os tempos, pessoas e lugares, além de um breve relato das caminhadas realizadas. A ideia é retratar, por meio das fotos e de alguns textos curtos, o espirito do Grupo e a relação de seus integrantes com o Meio

A EXPOSIÇÃO:

Período: 05 a 10/06
Local: Sala de exposições do Centro de Visitantes
Nº de Fotos: 50 FOTOS GRANDES ( 30x45cm ou 24x30cm)